Skip to content
VM Samael Aun Weor: Gnose Psicologia Alquimia Astrologia Meditação Cabala
As grandes realidades do Espírito só podem ser experimentadas com a Conscięncia
VOPUS | Gnose arrow Símbolos Universais arrow O Dragão: a reflexão logóica

O Dragão: a reflexão logóica

Imprimir E-mail
Por Editor VOPUS   
Logos e Dragão

Nas Doutrinas Sagradas dos Gnósticos é onde é possível ver melhor o significado do DRAGÃO, da Serpente, do Bode e de todos esses símbolos dos Poderes e Forças da Natureza e do homem, que por haverem agora polarizado com seu aspecto negativo, são chamados "do mal".

Os Dragões foram tidos, em toda a antiguidade, como símbolos da eternidade e da sabedoria.

Os Hierofantes do Egito, da Babilônia e da Índia davam geralmente, a si mesmos, o nome de "FILHOS DO DRAGÃO E DA SERPENTE", corroborando assim os ensinamentos do Gnosticismo Universal.

O Dragão é o "Divino Daimon" de Sócrates, o famoso "LUCIFER" da Catedral de Notredame de Paris, o mesmíssimo "XOLOTL-NAHUATL" dos Astecas.

O Dragão, Xolotl, é a Sombra Vivente de Quetzalcoatl (do Logos, do Cristo),é o portador da Luz, é Tlahuitzcalpante-Cuhtli, a "Estrela Da Manhã", o símbolo vivente de nossa "Pedra Angular", a "Pedra do rincão", a "Pedra Filosofal" na qual está a chave de todos os poderes. Lucifer-Prometeo, o Dragão, tomando às vezes o aspecto do Cabrito Macho de Mendes, simboliza a Potência Sexual. Ele é o Príncipe da Luz e das Trevas e tem potestade absoluta sobre os Céus, sobre a Terra e os Infernos.

O Dragão, Xolotl-Lucifer-Prometeo, não é em modo algum um agente estranho, fora de nossa Psique. Muito pelo contrário, é certamente "a sombra" de nosso SER DIVINO. É o "treinador psicológico" no ginásio da vida prática.

Vã agitação, alarme ou alvoroço é o de certas irmandades que propagam, por aqui, por lá e acolá, néscias infundadas mentiras contra o "Chinoupes Solar" gnóstico, o Cristo-Agathodaemon", a "Serpente" do Gêneses, o "Lucifer-Nahuatl", o resplandecente "Dragão de Sabedoria".

É malvisto ou malquisto Xolotl-Lucifer por aqueles ignorantes, "exemplos de sabedoria", que repudiando ao Espírito que vivifica, interpretaram a alegoria de "a guerra dos céus" e "a luta de Miguel contra o Dragão", ao pé da letra, sem compreender seu profundo significado...

Indubitavelmente, nosso Real Ser Interior, Profundo, como em todas as Lendas sobre os heróis que lutam contra o Dragão tem que matá-lo, o qual significa sair airoso e triunfante em todas as tentações postas por ele, por isso se diz que uma vez vencido nos convertemos em "Filhos do Dragão". De que forma poderia brotar em nós as virtudes se não existisse a tentação?

Bel e o Dragão, Quetzalcoatl e Xolotl, Apolo e Pytión, Krishna e Kaliya, Osíris e Tiphón, Miguel e o Dragão Vermelho, São Jorge e o Dragão, são (os segundos) sempre a Sombra do "Logoi Particular Divinal" de cada um deles e de nós, projetados em nossa própria psique para nosso bem.

É o Dragão, essa Força comparável a um combustível, que utilizado sabiamente pode impulsionar nosso desenvolvimento interior ou, pelo contrário, usado negligentemente, pode nos conduzir ao abismo de perdição...

Lutas Mitológicas: Bel e o Dragão, Quetzalcoatl e Xolotl, Apolo e Pytión, Krishna e Kaliya, Osíris e Tiphón, Miguel e o Dragão Vermelho, São Jorge e o Dragão
O Dragão: a reflexão logóica
AddThis Social Bookmark Button
 
< O Cão   Contos de Fadas - Uma Alquimia Espiritual >

Conhecimento Universal

Ciência
Arte
Filosofia
Mística/Religião

Novas palestras - 2017:

conferencia 
JUNHO JULHO AGOSTO